quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Zugzwang – “é hora de se mexer”

Um dos principais obstáculos para a mudança de comportamento é que a maioria das pessoas não compreende realmente porque deve mudar. O vídeo que estamos publicando abaixo mostra com clareza e objetividade porque a vida humana na terra precisa que as pessoas mudem sua forma de ver o planeta.
Não deixe de assistir!

Dal Marcondes

A vida na Terra encontra-se em momento de alerta. Ou substituímos os nossos modelos de conduta e sistemas de desenvolvimento ou entraremos em choque, sem a garantia da sobrevivência da espécie humana. Essa previsão já vem há um tempo nos sendo informada, porém a inércia de líderes e sociedades revela um cenário que deve ser evitado a todos os custos. Estamos agora condenados a pensar diferente.



Como em um jogo de xadrez, chegou o momento de decidirmos qual será nosso próximo movimento. É assim que o documentário brasileiro Zugzwang, que em alemão quer dizer “compulsão ao movimento”, apresenta o debate sobre um dos mais importantes pilares da sustentabilidade: a produção de energia.

Assinado pelo roteirista e diretor Duto Sperry, o documentário faz uma avaliação da relação entre sociedade e energia e a busca pela sustentabilidade do planeta, abordando o crescimento e impactos da “era do petróleo” nos recursos naturais do planeta e no comportamento das sociedades (dependência energética, exclusão, desigualdade...).

Para os produtores da obra, o uso do petróleo deve ser revisto para o bem dos indivíduos e da qualidade de vida na Terra e apresentam os biocombustíveis como alternativas viáveis e com vantagens ambientais, econômicas e sociais. “O Brasil, reconhecido mundialmente pelo pioneirismo no setor, tem capacidade para liderar o maior mercado de energia renovável do mundo”, completa Eduardo Ribeiro dos Santos, produtor e idealizador do projeto.

O termo zugzwang é também pode ser interpretado como “a hora de se mexer”, hora de tomar atitudes. O que é reforçado por meio de depoimentos de diversos atores sociais, ligados às áreas agrícola, de produção e bioenergias, que traçam um panorama abrangente nos contextos ambientais, socioambientais e tecnológicos relacionados aos uso e produção dos biocombustíveis. “Mostramos as vantagens do uso das fontes de energia renováveis como a melhor alternativa ao uso dos combustíveis fósseis. Trata-se de passarmos para uma civilização de baixo carbono”, completa Duto Sperry.

O documentário foi lançado pela produtora Matel Doc, em junho de 2009, e conta com a participação de personagens como:

• Vandana Shiva (ambientalista e filósofa de Nova Delhi/Índia),
• Rajendra Pachauri (Prêmio Nobel da Paz em 2007 e presidente do IPCC de Nova Delhi/Índia),
• Ignacy Sachs (sociólogo e economista)
• Eduardo Viola (professor de relações internacionais da UNB/Brasília)
• Thomas Lovejoy (presidente da Heinz Foundation/Washington/EUA)
• José Goldemberg (físico e preofessor do IEE/USP)
• José Tubino (representante no Brasil da FAO/ONU)
• Koya Nishikawa (Secretário do Parlamento do Ministério da Economia de Tóquio/Japão)
• Carlos Nobre (pesquisador do INPE e Membro do IPCC/Brasil)
• Clayton Lino (presidente do Conselho nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica)

Assista ao compacto de 15 minutos do documentário Zugzwang:

Um comentário:

Luna disse...

Excelente. Simples e esclarecedor.
Luna Gutierres